Escritos Esparsos

25 de outubro de 2011

Como Deve Ser

Filed under: Não categorizado — stellerdepaula @ 2:18

Meu amor fala contigo sem o auxílio das palavras.

Ele conversa e te louva pelo toque – das mãos, da boca, da língua.

 

Passas por mim e me lanças um olhar safado, cheio de recordações,

O castanho dos teus olhos me levam a paraísos distantes,

O teu cheiro dança em minhas lembranças

E te sigo repleto de amor e desejo, embalado também pela música dos teus passos.

 

Quero o meu suor correndo pela pele do teu desejo.

Quero meu desejo esquentando tua pele.

Quero teu suor abrandando meu querer.

 

Quero que faças de meus cuidados e carinhos uma carruagem

Na qual passeiem tuas preocupações e carências.

 

Deixa eu te amar, te mimar, como deve ser.

Steller de Paula

Anúncios

12 de outubro de 2011

Mesmo na ausência

Filed under: Não categorizado — stellerdepaula @ 1:32

No fim do dia, mesmo separados pela distância e aproximados apenas pela tela do computador, você é meu abraço, meu carinho, meu refúgio. É nas suas palavras que deito e descanso.

O dia nasceu transpirando beleza! A cidade possui o sol, possui o céu, possui o mar. Eu possuo a lembrança do teu beijo adoçando minha manhã.

Um beijo teu; miha pele, Sol em explosões de calor.

Diante da beleza do mar, do céu, da Baía de Guanabara, me falta a companhia dos teus olhos. A névoa que agora envolve o Pão de Açucar, eu sinto, traz seu cheiro.

 

Steller

3 de outubro de 2011

O Pensamento Te Procura

Filed under: Não categorizado — stellerdepaula @ 2:11

Segunda-feira e hoje eu pensei muito em você. Acordei e, enquanto curtia a preguiça, vi o sol entrando pela janela e me peguei pensando se você já estaria acordada, seus olhos iluminando o sol, clareando o dia que entrava pela minha janela.

Tenho pensado muito em você. São pensamentos leves como esperanças.

Quando a correria aperta e o dia fica pesado, penso num passeio de barco, o por do sol, e percebo que seu cheiro se mistura ao cheiro da brisa marinha.

Quando leio os jornais, escuto as notícias e descubro que nosso excelentíssimo governador continua desrespeitando os professores, que meus alunos e muitos outros ficaram quarenta dias sem aulas e nós professores não conquistamos nada além de desilusão, desestímulo, frustração, vou buscar na lembrança do seu sorriso, da sua gargalhada, um pouco de alegria para dar mais uma aula.

Quando o cansaço ganha corpo e meu corpo e minha mente pedem um uma cama quente no friozinho da serra, ou uma rede numa varanda à beira-mar, tua cabeça sempre está no meu peito, e eu descubro que meu peito foi desenhado para acomodar as tuas dores, o teu cansaço, o teu sono, os teus sonhos. Acomodar, confortar, proteger.

Quando, durante uma aula leio algo bonito, me vejo espantado diante da beleza das palavras em poesia, penso em ti e sou eu também todo poesia.

Um deslize
e
meu pensamento
em ti
te procura.

Quando chego a casa, no banho, junto à água que escorre pelo meu corpo, vem a lembrança do teu toque, da tua pele na minha, dos teus beijos acendendo o rastilho do meu desejo; e não é mais água, é teu suor se misturando ao meu, tua saliva adocicando minha boca.

Agora é sexta à noite. A semana passou e não te tive.  Foi uma semana estressante, o dia hoje por demais cansativo. Muito trabalho, alguma falsidade; e conviver com a pequenez de alguns às vezes tira o brilho do dia, o encanto da noite. Enquanto elaboro questões para uma aula, penso em você. O texto de uma questão é para falar com você, acariciar você.

Amanhã meu dia será você, será o tempo que passarmos juntos. Saber disso me faz sentir como a personagem de um dos contos da Clarice:

Até o dia seguinte eu me transformei na própria esperança da alegria: eu não vivia, eu nadava num mar suave, as ondas me levavam e me traziam.”

Vou dormir. Eu não rezo, você sabe. Mas toda noite, antes de dormir, tenho um bom pensamento pra ti. Já faz um tempo acredito no poder disso. Sempre um bom pensamento te abraçando, te embalando, pensamento de proteção e carinho.

Steller de Paula

Blog no WordPress.com.